pt | en

coleção de gravura



anterior            próximo
  • Soneto de Camões - "O dia em que nasci moura e pereça" - Retrato do poeta junto a espada





  • Autoria:
  • Barata, José Pedro Martins
  • download da ficha de autor

  • Gravura original

  • Data de execução:
  • Não disponível

  • Dimensões:
  • 153 x 194 mm

  • Técnica:
  • Talhe doce e Água-Forte

  • N.º de Inventário:
  • FBAUL/411/GA
  • download da ficha de inventário

  • Material:
  • (Matriz) ; (Papel) ; (Tinta) Negra

  • Local de execução:
  • Não disponível

  • Super Categoria:
  • Artes-Plásticas

  • Categoria:
  • Gravura Contemporânea

Descrição:
Retrato do poeta Luís Vaz de Camões, de rosto severo, com uma das mãos crispada numa superfície de tecido macio. Ao fundo, do lado esquerdo vê-se uma janela em frente à qual está um jarro e um prato grande. Pousada ao lado, está uma espada.

Inscrição:
O dia em que nasci moura e pereça, / Não o queira jamais o tempo dar; Não torne mais ao Mundo, e, se tornar, Eclipse nesse passo o Sol padeça, A luz lhe falte, o Sol se lhe escureça, Mostre o Mundo sinais de se acabar, Nasçam-lhe monstros, sangue chova o ar, A mãe ao próprio filho não conheça. As pessoas pasmadas, de ignorantes, As lágrimas no rosto, a cor perdida, Cuidem que o Mundo já se destruiu. Ó gente temerosa, não te espantes, Que este dia deitou ao Mundo a vida Mais desgraçada que jamais se viu. [incluída na gravura]

Subscrição:
J. P. Barata [esquerda]; H. T. [direita]

Estado de conservação:
Bom

Localização:
Gabinete de Desenhos - FBAUL

Bibliografia:
Não disponível

Observações:
Cena inspirada no soneto "O dia em que nasci moura e pereça" de Luís Vaz de Camões. No canto superior esquerdo do papel em relevo está a inscrição "José Pedro M. Barata Arquitecto". A gravura foi uma doação feita à FBAUL pelo Arquitecto José Pedro Martins Barata. Tiragem particular, não numerada e sem indicação de destruição da matriz no final da tiragem.

Data de Inventário:
2013

Assinatura:
Maria Teresa Sabido

Data da Fotografia:
2013